O país mais feliz do mundo, segundo o Relatório Mundial de Felicidade, é também a terra dos Vikings e um dos países mais bonitos da Europa.

bdr

A Noruega fica na região cultural e geograficamente conhecida como Escandinávia, que inclui os dois países da Península Escandinava (Noruega e Suécia) e a Dinamarca. Esse mapa mostra direitinho.

O país é muito especial: é a terra dos fiordes (vales criados pelo degelo), conta com 50.000 ilhas e tem 2/3 da sua área coberta por montanhas.

É o paraíso para quem gosta de fazer trilhas, de esquiar ou de curtir outras aventuras. Esse vídeo delicioso do blogger Erik Conover dá alguns exemplos:

Quer ver as belezas do país de uma maneira mais tranquila? O site oficial de turismo tem opções de passeio de barco, trem e ônibus. Esse link vai direto pra versão em português.

São tantas opções de passeio que pode ficar um pouco difícil de escolher. O que eu li e ouvi é que duas opções sem erro são:

  1. fazer o passeio “Norway in a Nutshell“, que vai da capital Oslo até Bergen, usando os 3 tipos de transporte (pode ser feito em um dia ou vários)
  2. visitar o Sognefjord, que reune várias das belezas do país

O meu passeio foi dos tranquilos: conheci Oslo e Bergen, indo de uma cidade até a outra pelo fiorde de Hardanger. Tudo sobre o meu passeio eu conto em um outro post.

Terra de extremos

Geograficamente, o país é “comprido”, estendendo-se do Mar do Norte até o Círculo Polar Ártico.

Isso faz com que o país seja um dos poucos de onde é possível ver a Aurora Boreal (Northern Lights) e “O Sol da Meia-Noite”.

A Aurora Boreal é um fenômeno ótico, que resulta do choque dos ventos solares contra o campo magnético da Terra. Esse choque provoca uma movimentação de átomos, que resulta em emissão de luzes.

Dependendo da distância da Terra em que o choque acontece e dos tipos de gases predominantes na região, as cores percebidas pelo olho humano são diferentes: verdes e amarelas, quando entre 100 e 300 km da terra; avermelhadas, quando a cerca de 100 km da superfície.

16848575261_3f2fd69871_oAurora Boreal by Skope Intercambio Canada is licensed under CC BY 2.0

Tem boas chances de ver esse espetáculo de luzes coloridas quem estiver na Noruega nos meses de setembro, outubro, fevereiro e março.

O “Sol da Meia-Noite” é outro fenômeno que ocorre nos círculos polares: o sol aparece no céu no equinócio que marca o início da primavera (ou seja, em março no hemisfério norte e setembro no hemisfério sul) e lá permanece até o equinócio seguinte, ou seja, por 6 meses. Essa permanência do sol no céu por 6 meses é o chamado sol da meia noite.

Longyearbyen, no norte da Noruega, está tão próxima a essa região, que lá o sol permanece no céu de 20 de abril a 22 de agosto. Mais para o sul do país, há várias cidades onde o sol não se põe por vários dias ou meses. A tabela completa de cidades e datas pode ser encontrada aqui.

Para quem mora no sul do país é mais “tranquilo”: são 20 horas de luz por dia no verão e 4 horas de luz por dia no inverno.

As temperaturas também são extremas. Em Oslo, capital do país, podem variar de menos 24 graus no inverno a 34 graus no verão.

Já Bergen, cidade próxima à costa, é conhecida como a cidade mais chuvosa da Europa.

Os próprios noruegueses fazem esse graça disso. Esse quadro, que estava no restaurante do hotel em que fiquei, diz: “Feito com ingredientes locais e nosso amor para a cidade onde nunca para de chover.”

dav

Eu dei sorte! Estive em Bergen no verão e vi o sol por muitas horas. E, por algumas, choveu. Como tinha que ser. 🙂

Os Vikings

Eles vieram da Noruega. Eram os habitantes da Baía de Vik, que a partir do século XV, passou a ser chamada de Skagerrak.

Entre os anos 800 e 1050, os Vikings eram numerosos, sabiam navegar bem, eram militarmente organizados e tinham um grande espírito de aventura.

E, assim, ocuparam a Islândia, a Escócia, a Irlanda, a Inglatera, a França, entre outros lugares.

Os Vikings permaneceram na imaginação coletiva por muitos motivos, um deles sendo sua rica mitologia.

Thor, o deus do Trovão, e Odin, que deu um de seus olhos em troca da sabedoria, são as figuras mais conhecidas. Esse artigo faz um resumo sobre os principais deuses nórdicos.

Já esse vídeo é sobre a origem do mundo na mitologia nórdica. Quem gosta de O Senhor dos Aneis vai encontrar muitas semelhanças.

Encontrei esse e esse artigos falando sobre a influência da mitologia nórdica na obra de Tolken.

O nome dos dias da semana em inglês também vem da mitologia nórdica. Thor, por exemplo, deu nome à quinta-feira (Thursday em inglês, ou seja, dia de Thor).

Para quem quiser mergulhar mais no assunto, sugiro começar por esse vídeo:

Os Vikings foram, porém, influenciados pela cultura das terras que ocuparam. Quando voltaram pra casa, muitos estavam cristianizados.

Muitas de suas lideranças haviam estabelecido relações com as monarquias, em especial da Normandia (França) e Inglaterra.

E, em pouco tempo, a Noruega estava unificada e adotando um modelo de governo bem parecido com o que existia nesses outros países.

Com a Igreja, o monoteísmo e a unificação do país, chega ao fim a Era Viking.

Mas, ainda bem, em todo lugar existe o sincretismo religioso. E ainda podemos ver um pouco da arquitetura viking nas primeiras igrejas do país.

Elas foram construídas em madeira com a mesma arte com que os Vikings haviam construído seus barcos. E elas ainda mantém imagens de dragões e outros animais em sua fachada, remetendo à antiga religião.

União com a Suécia e a Dinamarca

Lembra que eu falei que a Escandinávia é uma região não só geográfica, mas também cultural? Pois é, isso vem do século XIV, quando a princesa Ingebjørg (da Noruega) casou com o duque Erik (da Suécia). O filho deles, Magnus II Eriksson, governou os dois reinos.

Alguns anos depois, o filho deles, Haakon VI, casou com Margaret, filha do rei da Dinamarca. Assim ocorreu a União de Kalmar, pela qual os 3 países passaram a ter um só monarca.

E assim foi de 1397 a 1523, período no qual a Noruega esteve enfraquecida politicamente em relação aos outros dois países.

Quando a União de Kalmar finalmente terminou, a Noruega tentou separar-se da Dinamarca por meio de uma guerra civil, mas foi derrotada.

A Noruega pertenceu à Dinamarca até 1814, quando a Dinamarca foi atacada pela Suécia. A Noruega, embora tenha aproveitado a confusão para proclamar-se independente, acabou tendo que se submeter a uma união com a Suécia.

E, ao longo do século XX, a grande luta do país foi mostrar-se independente da Suécia, apesar da união entre os dois países. Foi só em 1905 que a União Suécia-Noruega foi desfeita. E, pela primeira vez em muitos séculos, a Noruega teve seu próprio rei.

Em um referendo, o príncipe Charles da Dinamarca foi eleito rei da Noruega, passando a chamar-se Haakon VII. Pra ver a lista de reis da Noruega, clique aqui.

A Noruega dos dias de hoje

Desde a Constituição de 1814, o país é uma monarquia, com o poder dividido entre os três poderes com os quais estamos acostumados: Legislativo, Executivo e Judiciário.

A família real é conhecida por ser simples e divertida. Esse é o site oficial da realeza e esse artigo do jornal The Telegraph resume de uma forma divertida quem é quem ao contar sobre a festa de aniversário de 80 anos do rei.

A Noruega não é parte da União Europeia, embora siga a maioria de suas regras e tenha acordos comerciais importantes com a região. A moeda do país é a coroa norueguesa.

Tudo lá é caro, inclusive para padrões europeus.

Uma entrada de museu, por exemplo, custa em torno de 150 coroas, o que equivale a cerca de 60 reais (setembro 2017). Para uma conversão atualizada, clique aqui.

É caro mesmo. E deixa a gente na dúvida se vale a pena visitar o país. Mas ele é tão diferente e tão lindo (espia essas fotos publicadas no jornal The Telegraph), que considero um passeio imperdível, especialmente para quem gosta de natureza.