Em Bergen, na Noruega, ficava um dos kontores (bases comerciais) da Liga Hanseática. Os outros kontores localizavam-se em Bruges (Bélgica), Novgorod (Rússia) e Steelyard, em Londres (Inglaterra).

Mas, afinal, o que era a Liga Hanseática?

Ao longo da Idade Média, surgiu na Europa o Sacro Império Romano-Germânico. Para ter maior autonomia comercial frente ao Império, várias cidades e grupos de comerciantes alemães associaram-se.

Assim surgiu a Liga Hanseática, cujo nome vem de Hanse, que, em alemão antigo, significa associação. E ela controlou o comércio no mar Báltico entre os séculos XIII e XV.

Para ser parte da Liga, era preciso ser uma cidade germânica. Mas havia exceções, como Estocolmo (então no Reino de Flandres), algumas cidades na Polônia e grupos de comerciantes alemães baseados em países como Islândia, Irlanda e Espanha. No seu auge, a Liga contou com mais de 100 cidades.

Os objetivos comuns dessas cidades eram proteger seus navios e suas rotas comerciais, estabelecer bases comerciais com condições favoráveis em pontos estratégicos e garantir monopólio dos produtos que comercializavam, sempre que possível.

Visite o kontor de Bergen

Bryggen é uma mini-cidade formada por 56 casas de madeira e 6 de pedra. É o maior conjunto arquitetônico remanescente da época da Liga Hanseática. Fica no coração da cidade de Bergen, que é a segunda cidade mais populosa da Noruega.

Desde 1979 a área é considerada  pela UNESCO como Patrimônio Histórico da Humanidade.

sdr

O kontor de Bergen deixou de existir no meio do século XVIII. Muitos dos alemães que o controlavam já não tinham para onde voltar e, ao invés disso, formaram o Escritório Norueguês (Det Norske Kontor), permanecendo na região.

A Liga Hanseática hoje

O último encontro oficial das cidades que formavam a Liga foi em 1669. Mas a relação entre as cidades manteve-se, com múltiplos formatos.

Em 1980 foi formada a Nova Liga Hanseática, que busca manter o espírito de união entre cidades, independentemente da fronteira entre os países.

 

Fontes: Brittanica.com e Hanse.Org